Sintomas da Diabetes: Tratamento, Causas, Diagnóstico e Prevençao

Diabetes é uma condição onde as pessoas não produzem insulina suficiente para atender a necessidade do corpo ou as células não respondem adequadamente à insulina.

diabetes
Diabetes: Teste de glicose

A insulina é importante, pois transporta a glicose, um açúcar simples, para as células do corpo a partir do sangue. Ela também tem uma série de outros efeitos sobre o metabolismo.

A alimentação fornece para o corpo a glicose, que é utilizada pelas células como fonte de energia. Se a insulina não está disponível ou não funciona corretamente para transportar a glicose do sangue para dentro das células, a glicose permanece no sangue. Altos níveis de glicose no sangue são tóxicos, e as células que não recebem glicose ficam sem a energia que precisam para funcionar corretamente.

Tipos de Diabetes

Existem dois tipos principais: tipo 1 e tipo 2. Mais de 90% das pessoas diabéticas sofrem do tipo 2. Mais de um terço dos diabéticos tipo 2 não sabem que têm a doença e não estão recebendo o tratamento necessário, porque, para muitas pessoas, os primeiros sintomas não são visíveis.

Tipo 1

Ocorre quando o pâncreas não produz insulina. Diabéticos tipo 1 necessitam de injeções de insulina. A maioria das pessoas são diagnosticadas com diabetes tipo 1 durante a infância ou adolescência.

Tipo 2

Ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente ou o corpo não a utiliza de forma adequada. Ocorre geralmente em adultos, embora, em alguns casos, as crianças podem ser afetadas.

Pessoas com diabetes tipo 2 geralmente têm uma história familiar da doença e 90% estão com sobrepeso ou obesos. Diabéticos tipo 2 podem, eventualmente, precisar de injeções de insulina

Gestacional

Outra forma menos comum é o diabetes gestacional, uma condição temporária que ocorre durante a gravidez. O problema geralmente desaparece após o parto, mas as mulheres que tiveram a doença na gravidez têm um risco maior de desenvolver diabetes tipo 2 mais tarde na vida.

Prediabete

Prediabetes é um termo usado para descrever os níveis de açúcar no sangue que são mais elevados do que o normal, mas não alto o suficiente para ser classificado como diabetes. Muitas pessoas com prediabetes podem desenvolver a doença.

Causas

A diabetes tipo 1 é uma doença autoimune. Acredita-se que uma combinação de predisposição genética e fatores adicionais (ainda não identificados) atacam e matam as células produtoras de insulina no pâncreas. Não há nenhuma maneira de prevenir que o diabetes tipo 1 ocorra.

Diabetes tipo 2 é causado principalmente por uma resistência à insulina. Isto significa que não importa o quanto ou quão pouco de insulina é produzida, o corpo não pode usá-la como deveria. Como resultado, a glicose não pode ser transportada do sangue para dentro das células.

Ao longo do tempo, o excesso de açúcar no sangue gradualmente prejudica o pâncreas, fazendo com que ele produza menos insulina e tornando ainda mais difícil manter a glicose no sangue sob controle.

A obesidade é uma das principais causas de resistência à insulina, cerca de 90% dos diabéticos tipo 2 estão acima do peso ou obesos. Fatores genéticos também são susceptíveis de causar diabetes tipo 2. Um histórico familiar da doença aumenta as chances de desenvolver a condição.

Outros fatores de risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2 incluem:

  • idade acima de 40 anos ou mais;
  • doença dos vasos sanguíneos (por exemplo, danos aos vasos sanguíneos nos olhos, rins, nervos, coração, cérebro, braços e pernas);
  • pressão arterial elevada;
  • colesterol elevado;
  • histórico de diabetes gestacional;
  • histórico de prediabetes ou deficiência de glicose em jejum;
  • dar a luz a um bebê grande (pesado);
  • certas condições médicas (por exemplo, a infecção pelo HIV);
  • transtornos de saúde mental (por exemplo, transtorno bipolar, depressão, esquizofrenia);
  • acanthosis nigricans (uma condição causando manchas de pele escura);
  • síndrome do ovário policístico;
  • apneia obstrutiva do sono;
  • uso de certos medicamentos (por exemplo, corticoides, como a prednisona, certos medicamentos antipsicóticos, certos medicamentos antivirais para o HIV).

Sintomas

Sintomas do Tipo 1

Pessoas com diabetes tipo 1 que não estão sendo tratadas, tendem a urinar com frequência e sentir sede excessiva. Além disso, sentem cansaço e perda de peso, apesar de normal ou excessiva ingestão de alimentos.

Sintomas do Tipo 2

Os sintomas do diabetes tipo 2 geralmente aparecem de forma mais gradual. Diabéticos tipo 2 que não têm a sua glicose no sangue controlada, muitas vezes têm uma sede persistenteurinam com frequência, sentem leve fadiga e queixam-se de visão turva. Muitas mulheres com a doença têm recorrentes infecções vaginais.

Complicações

O diabetes é a principal causa de doença cardíaca, e também a maior causa de cegueira e insuficiência renal em adultos. Idosos diabéticos têm duas vezes mais chances de desenvolver pressão alta, do que idosos sem a doença.

As pessoas diabéticas são 20 vezes mais propensos a sofrer amputações no pé e outros membros inferiores devido a problemas circulatórios.

Entre 34% a 45% dos homens que têm diabetes sofrem de disfunção erétil em algum ponto.

Diagnóstico

A doença pode ser diagnosticada com exames de sangue simples. O seu médico pode selecionar um dos quatro testes para avaliar se você tem diabetes.

  • Nível de glicemia em jejum: Se o nível de glicose no sangue é de 7,0 mmol/L ou mais, após um jejum de pelo menos 8 horas – o médico pode diagnosticar diabetes. Se o nível de glicose no sangue está entre, de 6,1 a 6,9 mmol/L, o médico pode diagnosticar a deficiência da glicose de jejum ou prediabetes.
  • A1C: Hb A1C, também chamada de hemoglobina glicada, reflete a média dos níveis de glicose no sangue nos últimos 2 a 3 meses. Se o A1C é de 6,5% ou mais, o médico pode diagnosticar diabetes. Se o A1C é entre 6,0% e 6,4%, o médico pode diagnosticar prediabetes. Observação, o A1C não pode ser usado para diagnosticar a diabetes tipo 1, diabetes em crianças, adolescentes ou mulheres grávidas.
  • Nível aleatório de glicose no plasma: Se o nível de glicose no sangue é de 11,1 mmol/L ou mais, sem relação à hora do dia ou da última vez que comeu, o seu médico pode diagnosticar a doença.
  • Teste oral de tolerância à glicose (OGTT): Para realizar o teste é necessário jejum de pelo menos 8 horas e, em seguida, ingerir uma bebida com 75 g de carboidratos. A glicose no sangue é controlada 2 horas após a ingestão da solução em jejum. Se a glicose no sangue é de 11,1 mmol/L ou mais, o médico pode diagnosticar a doença. Se a glicemia 2 horas depois de beber a solução estiver entre os 7,8 11,1 mmol/L, o médico pode diagnosticar prediabetes. Este é o método preferencial para teste para diabetes gestacional.

Se você estiver sintomático (por exemplo, aumento da sede ou da quantidade de urina, perda de peso inexplicada), o seu médico pode usar apenas um único teste para diagnosticar a doença.

Se você não tem nenhum sintoma, um nível alto de glicose no exame não necessariamente significa que você tem a doença. O seu médico irá repetir um dos exames de sangue novamente em outro dia (geralmente 1 semana depois) para confirmar o diagnóstico.

Tratamento e Prevenção

Atualmente, a diabetes tipo 1 não pode ser evitada. No entanto, estudos têm mostrado que a diabetes tipo 2 pode ser prevenida com a adoção de mudanças no estilo de vida que incluem moderada perda de peso com uma dieta saudável e exercícios físicos com regularidade.

Além disso, estudos têm demonstrado que certosm medicamentos antidiabéticos podem desempenhar um papel na prevenção do desenvolvimento de diabetes tipo 2 para pessoas com prediabetes.

O Diabetes é uma doença crônica, que pode durar uma vida inteira. O objetivo do tratamento é manter os níveis de glicose no sangue o mais próximo de uma faixa normal. Isso impede a evolução dos sintomas e as complicações a longo prazo da doença.

O tratamento da doença requer uma quantidade significativa de esforço real do paciente. Lidar com diabetes é um desafio permanente, isto porque requer mudanças no hábitos de vida.

Parte de um plano de tratamento pode incluir produtos à base de ervas medicinais para ajudar a controlar o açúcar no sangue, estudos comprovam que estes tratamentos são seguros e eficazes.

Diabéticos tipo 1 precisam de insulina continuamente para manter a doença controlada. A única maneira de curar esta doença seria com transplante de pâncreas, mas estas operações só são recomendados em um pequeno conjunto de circunstâncias.

O tratamento da diabetes tipo 2 começa com mudanças de estilo de vida, incluindo alimentação saudável e exercício. Se você tem diabetes tipo 2, fale com o seu médico ou nutricionista sobre uma dieta adequada.

A falta de conhecimento sobre como lidar com a alimentação de forma inteligente ainda é uma problema para muitos diabéticos.

Se as mudanças de estilo de vida não controlarem a doença, os medicamentos podem ser necessários. A medição incluí comprimidos ou injeções de insulina, ou uma combinação destes.

Medicamentos são muito eficazes no tratamento e podem reduzir os sintomas e efeitos a longo prazo da doença. No entanto, você pode ter hipoglicemia (um nível de glicose no sangue demasiado baixo) enquanto estiver consumindo certos medicamentos para diabetes.

Os sintomas de hipoglicemia incluem:

  • ansiedade
  • tremores ou tremores
  • transpiração
  • fome
  • náuseas
  • batimento cardíaco acelerado
  • dificuldade de concentração
  • tonturas
  • sonolência
  • fadiga
  • dor de cabeça
  • irritabilidade
  • alterações visuais

Se o seu nível de glicose no sangue está muito baixo, é possível ter uma convulsão ou perda de consciência. Um profissional de saúde pode ensiná-lo a reconhecer os sinais de aviso de hipoglicemia. As pessoas diabéticas devem levar doces, açúcar, ou tabletes de glicose para tratar a hipoglicemia, caso ocorra.

A hipoglicemia é um efeito colateral de vários medicamentos para o tipo 1 e 2 do doença, mas nunca é um motivo para evitar começar o tratamento. A melhor maneira para evitar a hipoglicemia é comer refeições regulares e monitorar a glicose no seu sangue.

Medição dos níveis de glicose no sangue é a melhor maneira de saber se os níveis de glicose no sangue estão normais. Isso é facilmente feito em casa com um monitor de glicose no sangue. É essencial monitorar os níveis de glicose no sangue.

No entanto, o número de vezes que você deve medir sua glicose no sangue será com base no tipo de diabetes e o tratamento. Algumas pessoas podem precisar de medir seus níveis de glicose no sangue várias vezes por dia, enquanto que outros podem fazer o teste com pouca frequência.

É importante o registro da glicose no sangue em momentos diferentes do dia – após o jejum (antes do café da manhã), bem como a 2 horas após uma refeição. Isto permite que seu médico veja como seus níveis de glicose no sangue variam durante o dia, e assim recomendar o tratamentos adequado.

A maioria dos medidores de glicose no sangue agora têm “memória”, que armazena um número de testes de glicose no sangue, juntamente com a data e hora em que foram tiradas, e ainda utilizam gráficos de resultados.

Teste de A1C não é apenas utilizado para o diagnóstico de diabetes. Ele permite que o médico veja a média dos valores de glicose no sangue nos últimos 3 meses. A média é uma boa indicação de quão bem sua glicose está e permite que o médico prescreva a forma de tratamento mais eficaz. O A1C é geralmente medido a cada 3 a 6 meses.

O artigo Sintomas da Diabetes: Tratamento, Causas, Diagnóstico e Prevençao apareceu primeiro em Rural BR.

Advertisements

Sobre o Autor: Dr. Enrique Bernoldi

Doutor Enrique BernoldiEnrique Fernández Bernoldi nasceu em Havana (Cuba), em 18 de dezembro do ano de 1966. Seus pais são Carlos Bernoldi e Adelaida Fernández, e Enrique é o segundo de quatro irmãos (Alberto, Daniel e Davi). Cursou o primeiro ensino e o ensino médio em Havana, no colégio San Anacleto.

Mais tarde, entrou na Universidade de Havana, como estudante de medicina e, em 1981, formou-se médico endocrinologista. Doutor Bernoldi também é nutrólogo pós graduado pela Universidade de Barcelona.

Em 2014, Dr. Bernoldi mudou-se para o Brasil para atuar no Programa Mais Médicos, lançado em 2013 pelo Governo Dilma. No ano de 2016, participou de pesquisas sobre a influência da alimentação funcional no tratamento dos sintomas de doenças crônicas como Diabetes e Obesidade.

Veja o perfil do médico no Google Plus.


O artigo Sobre o Autor: Dr. Enrique Bernoldi apareceu primeiro em Rural BR.

Sobre a Autora: Dra. Fernanda Souza

fernanda souzaFernanda Souza é Nutricionista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós-graduada em Nutrição Clínica pela UFRJ.

Atualmente, presta consultoria e atendimento nutricional em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Fernanda também é professora de cursos de pós-graduação, palestrante e coaching de emagrecimento. Tem vasta experiência na área de Nutrição, com foco em Homeopatia, Alimentação Funcional, Nutrição Clínica e Diabetes.

Google +


O artigo Sobre a Autora: Dra. Fernanda Souza apareceu primeiro em Rural BR.

Bula do Tadalafila: Para que Serve, Indicações de Uso e Efeitos Colaterais

O Tadalafila ou Tadalafil é um medicamento que atua na efetividade de falha erétil. As eventuais falhas eréteis podem ocorrer a quaisquer homens. Contudo, ao passo que as ereções não são adequadas e há a repetição frequente, é válido buscar o auxílio médico. Lembrar-se, portanto, que os aspectos de riscos são parecidos é imprescindível. Até porque o problema de circulação na região peniana pode fazer o alerta para demais sinais do organismo que não estão de acordo.

tadalafila
Remédio Tadalafil 10mg Manipulado

Antes de pensar em comprar o Tadalafila consulte um médio e saiba se a medicação, realmente, é indicada para o seu caso. Antes de tomar siga as orientações da bula e entenda para que serve, indicações de uso, efeitos colaterais e como tomar.

Bula do Tadalafila

O princípio ativo do Tadalafila tem indicação para tratar sintomas e sinais respectivos a hiperplasia prostática benigna em público masculino adulto, com a inclusão daqueles com disfunção erétil.

Há diversas condições eréteis que podem, portanto, acometer o organismo, basta que se faça uma pesquisa clínica a fundo e periódica. Diversos fatores podem implicar neste cenário, desde estresse até problemas de maior gravidade. É importante que você converse com o seu especialista e tente analisar a melhor forma de tratar o problema da disfunção erétil.

Para que Serve?

O elemento ativo tem indicação específica para tratar a disfunção erétil. Este tratamento inicia quando se pode identificar e controlar os fatores de risco. Ainda, o especialista, atualmente, têm o costume de fazer a prescrição dos remédios orais denominados inibidores da fosfodiesterase categoria 5. O Tadalafila é uma das opções mais conhecidas e utilizadas para esta condição.

Um ponto importantíssimo, mas não muito valorizado compreende o cuidado com o relacionamento. Fazer a avaliação da parceira, portanto, e como os dois estão analisando questões e problemas, é imprescindível. Em determinadas situações, é válido o apoio de psicólogos ou servidores para aprimorar o relacionamento do casal.

Indicações

A medicação tem indicação para tratar disfunções eréteis. Esta condição ou a impotência sexual apresenta a incapacidade de permanecer com uma ereção dotada de rigidez ou, até mesmo, de obtê-la. Isto se revela na insuficiência para que haja uma atividade sexual com satisfação.

Em virtude de que, para se obter a ereção, diversos tecidos e órgãos necessitam de funcionamento harmônico, há diversos cenários, portanto, que prejudicam um ou demais participantes, podendo fazer o curso da disfunção erétil.

Não é sempre que os especialistas conseguem fazer a definição exata do percentual da cooperação de cada estrutura em envolvimento. Esta condição impotente tem relação a diversos cenários patológicos e o tratamento de disfunção que envolve, de forma obrigatória a descoberta do motivador.

Desde um organismo muito ansioso, estressado até demais condições de teor mais grave podem desencadear o quadro, em questão.

Efeitos Colaterais

Como todo e qualquer tipo de substância química, o medicamento em questão apresenta efeitos colaterais. As reações adversas, portanto, estão presentes a partir dos sintomas seguintes, para determinados homens:

  • dores lombares;
  • dispepsia;
  • rubor da face;
  • mialgia;
  • congestão do nariz;
  • dispneia;
  • cefaleia;
  • refluxo gastroesofágico;
  • dores nas extremidades.

Saúde dos vasos sanguíneos

Algumas situações cardiovasculares graves, com a inclusão de infarto do coração, morte súbita, AVC, dores torácicas, taquicardias e palpitação tiveram relato posteriormente ao consumo do medicamento.

Contudo, não há como fazer a determinação definitiva destas situações em relação direta aos aspectos de risco da tadalafila quanto à relação sexual ou combinações destes ou demais aspectos. A hipotensão também teve uso por indivíduos consumindo substâncias anti-hipertensivas.

Estudos científicos e reações adversas

Este produto teve administração a um quantitativo maior que 6.550 homens ao longo de pesquisas clínicas em volta do mundo. Em pesquisas clínicas com o produto administrado uma única vez, o geral de 716, 389 e 115 indivíduos tiveram tratamento por, no mínimo, seis meses, entre um a dois anos, de forma respectiva.

Numa outra pesquisa clínica, entre 3, 12 ou 24 semanas de tratamento, a faixa etária mediana dos indivíduos correspondia a 58 anos (com variação de 21 a 82 anos), sendo que a taxa descontinuada em virtude a situações adversas de indivíduos com tratamento a partir do produto, declarou-se 4,1%, em comparação a 2,8% de indivíduos com tratamento placebo.

Nas pesquisas clínicas, o elemento ativo apresentou aumento das ações hipotensivas de nitratos. A suposição é de que seja resultado das ações combinadas de nitratos e do elemento ativo na via óxido nítrico/ GMPc. Contudo, administrar o produto a indivíduos que estejam fazendo uso de quaisquer formas do nitrato tem contraindicação.

Este medicamento não deve ter uso em indivíduos com hipersensibilidade ao medicamento, ou quaisquer compostos da fórmula.

É importante ressaltar que o Tadalafila não tem indicação para o público masculino que não apresente a disfunção erétil.

Como Tomar?

O Tadalafila apresenta diversas dosagens e miligramas específicos para o tratamento, de acordo com a situação determinada do paciente.

Tadalafila 20 mg

Esta dosagem máxima indicada do medicamento é de 20 mg, consumida em período anterior ao relacionamento sexual e sem depender de refeições. O tempo máximo da dosagem indicada é 1x por dia.

O produto comprovou a eficácia a contar 30min posteriores ao seu consumo, pelo prazo de até 36h. Indivíduos podem dar início ao exercício sexual em tempos com variação relacionada ao consumo, de modo a fazer a determinação do próprio intervalo excelente de respostas.

5 mg para Disfunção Erétil

A dosagem indicada do medicamento é de 5 mg, com administração uma vez por dia, pelo tempo médio de mesma hora.

O tratamento durará pelo tempo estipulado pelo médico.

5 mg para Hiperplasia Prostática Benigna (HPB)

A dosagem indicada do medicamento ativo é de 5 mg, com administração 1x por dia, pelo tempo médio de mesma hora.

Homens com insuficiência dos rins

Não há a necessidade de fazer ajustes das dosagens em indivíduos que apresentem insuficiência dos rins de caráter leve ou moderado. O consumo do medicamento, uma vez por dia, não tem indicação para indivíduos que apresentam insuficiência renal de caráter grave.

Considerações finais

Caso você esteja enfrentando problemas de ereção, antes de comprar Tadalafila o essencial é analisar a situação em conjunto de um especialista e fazer o uso adequado do medicamento.

Seguindo todas as orientações mencionadas, fica mais fácil de apresentar uma vida sexual mais saudável e satisfatória, tanto para você quanto para a parceira!

O artigo Bula do Tadalafila: Para que Serve, Indicações de Uso e Efeitos Colaterais apareceu primeiro em Rural BR.

Cúrcuma – Benefícios, Efeitos Colaterais e Onde Comprar

A cúrcuma vem da raiz da planta curcuma longa, e é usada tradicionalmente como um potente anti-inflamatório na medicina chinesa e indiana. Tem a casca na cor marrom escuro, carne laranja, de sabor picante e amargo, e sua fragrância lembra o gengibre e laranja.

raiz de cúrcuma
Raiz da planta

A cúrcuma é a chamada tradicionalmente de açafrão da Índia e tem sido utilizado ao longo da história como condimento, remédio na medicina ayurvédica e como tintura para as roupas.

Grande parte da recente popularidade de cúrcuma, no ocidente, é devido às suas propriedades terapêuticas.

A cúrcuma é saborosa e bastante utilizada como tempero na cozinha (é uma das principais especiarias do curry), também contém compostos bioativos com propriedades medicinais, dos quais o mais importante é a curcumina, que é o principal ingrediente ativo que é um antioxidante muito forte com potentes efeitos anti-inflamatórios.

A inflamação crônica é um elemento comum em muitas doenças ocidentais. A principal razão de que os antioxidantes são tão benéficos é que protegem o nosso corpo dos radicais livres.

Benefícios da Cúrcuma

benefícios da curcuma
Existe uma extensa pesquisa clínica sobre o potencial anticancerígeno da curcumina

As propriedades da curcumina estudadas clinicamente são promissoras no tratamento de diversas doenças.

Principais Benefícios para a saúde

A cúrcuma por via oral é usado para problemas do sistema digestivo , como a dispepsia, dor de estômago, úlceras do estômago causadas pela bactéria helicobacter pylori, diarreia, gases, refluxo, síndrome do intestino irritável, perda de apetite, icterícia, distúrbios da vesícula biliar.

A curcumina pode ser eficaz em doenças inflamatórias do intestino , como a doença de crohn e a colite ulcerosa. Um estudo descobriu que pessoas com doença inflamatória intestinal, que tomaram curcumina reduziram seus sintomas e sua necessidade de medicamentos.

A cúrcuma é usado para a artrite. Algumas pesquisas mostram que, só ou em combinação com outras ervas pode ajudar a reduzir alguns dos sintomas da artrite reumatóide. A artrite é uma doença frequente que se caracteriza pela inflamação das articulações.  

Combate o câncer

A extensa investigação clínica nos últimos 50 anos sobre o potencial anticancerígeno da curcumina, foi indicado como o resveratrol, pode prevenir e tratar o câncer, devido à sua capacidade para suprimir a proliferação de uma grande variedade de células tumorais.

A curcumina tem sido descrita como um potente antioxidante e um agente anti-inflamatório capaz de suprimir a iniciação do tumor, seu crescimento e metástase. Experimentos em laboratório demonstraram que a curcumina pode prevenir a formação de tumores.

Estudos epidemiológicos realizados em populações que consomem grandes quantidades de curry têm relacionado o uso freqüente de açafrão com as taxas mais baixas de câncer de mama, próstata, pulmão e cólon.

Alguns pesquisadores acreditam que a combinação de legumes brassicaceae, como a couve-flor e a cúrcuma pode ser uma terapia eficaz para prevenir o câncer de próstata ou inibir a disseminação do câncer já ativos.

Uma investigação evidência de que o consumo de alimentos condimentados com cúrcuma pode reduzir o risco de desenvolver leucemia. A leucemia infantil é muito menor na Ásia do que em países ocidentais, o que pode ser devido às diferenças na dieta e ao uso frequente de cúrcuma.

Outros benefícios

A cúrcuma também é conhecida por ser eficaz na saúde cardiovascular. A doença cardíaca é a principal causa de morte no mundo. A curcumina, reduz o colesterol e previne a oxidação no corpo.

A curcumina, melhora a função cerebral e diminui o risco de doenças cerebrais, como a doença de Alzheimer. As propriedades químicas estudadas clinicamente a curcumina são promissoras. A investigação experimental realizada em ratos descobriram que a curcumina parece retardar a progressão da doença.

O ingrediente ativo na raiz de cúrcuma, a bisdemetoxicurcumina, aumenta a atividade do sistema imune em pacientes de Alzheimer. A doença de Alzheimer é a doença neurodegenerativa mais comum no mundo e a principal causa de demência.

Também sugerem que a curcumina pode bloquear a progressão da esclerose múltipla.

Pesquisas sugerem que ao tomar curcumina doentes de tuberculose pode reduzir os níveis de bactérias, para melhorar a cicatrização de feridas e reduzir a toxicidade hepática.

A inflamação dos olhos pode melhorar os sintomas da inflamação, a longo prazo, a camada média do olho.

Propriedades Terapêuticas

A cúrcuma tem demonstrado ser um substituto natural de alguns medicamentos convencionais, como a aspirina ou o ibuprofeno.

O consumo de cúrcuma é SEGURO quando consumida por via oral ou aplicada sobre a pele. Como medicamento é indicado consultar um médico.

Propriedades benéficas

A raiz de cúrcuma é amplamente utilizado na medicina. É uma excelente fonte de ferro, manganês e potássio, vitamina B6 e fibras alimentares. Seu perfil nutricional inclui uma ampla gama de nutrientes: hidratos de carbono, açúcares, fibras solúveis e insolúveis, sódio, vitaminas, minerais, ácidos graxos, aminoácidos.

A cúrcuma é popular no tratamento de uma ampla variedade de condições, incluindo, flatulência, icterícia, hepatite, problemas menstruais, problemas de urina, hemorragia, dor de dente, dor de peito, cólicas e diarréia.

Melhora os problemas do fígado, a sua capacidade desintoxicante, e a função hepática. As primeiras pesquisas sugerem também que a drenagem melhora a função renal em pessoas com inflamação renal.

Curcumina

A curcumina é um pigmento amarelo-laranja, açafrão e é o agente farmacológico primário no açafrão com significativa atividade anti-inflamatória e sem toxicidade associada aos medicamentos comerciais.

O poder antioxidante da curcumina ajuda a proteger as células dos radicais livres que podem danificar o ADN celular. Isso é importante em muitas doenças como a artrite, ou na prevenção do câncer.

A curcumina demonstrou ser eficaz no alívio dos sintomas da depressão. Também é popular o seu uso contra as dores de cabeça. Outros usos incluem bronquite, resfriados, infecções pulmonares, a fibromialgia, febre, problemas menstruais.

Algumas pessoas aplicam a cúrcuma topicamente para doenças de pele e feridas infectadas, irritação, coceira crônica, erupções cutâneas, coceira, e para tratar hematomas.

O enxágue bucal com cúrcuma parece ser eficaz para reduzir as doenças das gengivas e bactérias na boca, mas não para reduzir a placa.

Contraindicações

A cúrcuma não é um alimento alérgeno, não obstante, é conveniente, como com qualquer outro alimento evitar tomar doses excessivas.

Efeitos Colaterais

A cúrcuma em geral não causa efeitos colaterais significativos. No entanto:

  • Algumas pessoas podem sentir dor de estômago, náuseas, tonturas ou diarreia;
  • Pode fazer com que o açúcar no sangue baixe muito, pelo que pessoas com diabetes devem usar com cautela;
  • Pode retardar a coagulação sanguínea em pessoas com distúrbios de coagulação;
  • O exame de altas quantidades de cúrcuma também pode impedir a absorção de ferro pelo que pessoas com deficiência de ferro devem utilizar com cautela;
  • A cúrcuma pode piorar os problemas da vesícula biliar;
  • A cúrcuma pode causar mal-estar em algumas pessoas com refluxo ou problemas de estômago.

Precauções Especiais

Embora seu consumo seja seguro quando se toma por via oral, em quantidades que se encontram normalmente nos alimentos, não há informação suficiente para avaliar sua segurança ou efeitos secundários se consumida medicinalmente em doses mais altas.

A cúrcuma deve ser usada com cautela em pessoas que tentam ter um bebê. Mulheres grávidas ou em fase de amamentação devem consultar um médico antes de consumir.

Como Consumir

cápsulas de cúrcuma
Para sentir os efeitos positivos da cúrcuma é necessário tomá-la como suplemento

Para favorecer a absorção por parte do organismo da curcumina é necessário ajudar o organismo através do consumo em conjunto de pimenta preta.

Dicas de consumo

A curcumina, que é o principal agente de cura da cúrcuma, é mal absorvido pelo organismo. Para sentir os efeitos positivos da cúrcuma é preciso tomar um extrato ou suplemento que contenha grande quantidade de curcumina.

Ao mesmo tempo, para favorecer a absorção por parte do organismo da curcumina é necessário ajudar o organismo através do consumo conjunto de pimenta negra, que contém piperina, o que multiplica a sua biodisponibilidade. Sem esta substância a maioria da curcumina é desperdiçada. Os suplementos com bioperine (outro nome para a piperina) melhoram a absorção em 2000%.

Por ser solúvel em gordura, consumi-la com algum óleo vegetal de qualidade como por exemplo o de oliva extra-virgem, favorece igualmente a sua absorção.

Tempero na cozinha

Por ser uma especiaria a cúrcuma pode usá-la na cozinha de várias maneiras. Você pode adicioná-la em saladas, com arroz como corante, como ingrediente do curry, frito, em sopas e cremes… cúrcuma complementa e fica perfeita em receitas com lentilha.

Com certeza também sabe que a cúrcuma é um dos principais ingredientes do curry. Seu sabor amargo e levemente picante é usado com frequência para dar sabor e cor a uma infinidade de pratos orientais.

O óleo essencial de cúrcuma é usado em perfumes, e sua resina é usado como um componente de cor e sabor dos alimentos.

Onde Comprar

Se você decidir tomar um suplemento com extrato de curcumina, certifique-se de consumi-la com piperina, substância natural que ajuda na absorção da curcumina.

Onde encontrar cápsulas com curcumina

Sem piperina a maioria da curcumina é desperdiçada. Os suplementos com bioperine (outro nome para a piperina) melhoram a absorção em 2000%. Você pode comprá-los em lojas de produtos naturais.

Como tempero está disponível em supermercados na seção de especiarias, também pode adquiri-la online através de lojas de alimentos saudáveis e naturais. Tal como acontece com outros alimentos, produtos orgânicos têm a segurança de que o alimento não foi irradiado.

A cúrcuma em pó puro tem a maior concentração de curcumina, uma média de 3,14%, em peso em frente a amostras de curry que contêm quantidades muito pequenas.

A cúrcuma fresca deve ser guardada na geladeira enquanto que a especiaria você pode armazenar em um local escuro e seco.

O artigo Cúrcuma – Benefícios, Efeitos Colaterais e Onde Comprar apareceu primeiro em Rural BR.

Valeriana Officinalis: Como tomar comprimido, cápsula, extrato ou chá

Já ouviu falar sobre a planta Valeriana Officinalis? Não ainda? Então, hoje isso vai mudar, pois iremos contar várias coisas interessantes sobre essa planta que você precisa saber.

valeriana officinalis

A origem da planta Valeriana Officinalis, é lá da Europa e da Ásia, das regiões temperadas desses dois lugares. Ela é bem conhecida por ter diversas flores na cor branca e também em tons de rosa, seu aroma doce atrai a atenção de diversas pessoas.

De acordo com a história dessa planta, ela já foi bastante utilizada pela medicina popular. Sua raiz era preparada para tratar pessoas que estavam muito tensas e precisavam relaxar.

Hoje, depois de muitos anos, a Valeriana está sendo pesquisada novamente para encontrar novos benefícios do uso dessa planta medicinal; você vai ver aqui quais são os principais usos e também se ela possui algum tipo de contraindicação. Acompanhe a gente nesse post informativo!

Bula

Antes de pensar em comprar a Valeriana, é preciso entender como esta erva funciona, para que serve, quais são seus benefícios, contraindicações, efeitos colaterais e como tomar. É importante lembrar que antes de tomar qualquer remédio ou suplemento consulte um médico e leia a bula.

Para Que Serve

Quando o assunto é tratamento à base de plantas, podemos dizer que a Valeriana Officinalis é uma das que mais se utiliza. Para aqueles que não sabem, atualmente, o uso de plantas está bastante em alta para o tratamento de doenças e situações onde a doença ainda não se manifestou. Essas plantas tem o objetivo de diminuir os sintomas e até mesmo eliminá-lo.

No caso da Valeriana, podemos dizer que ela é bastante indicada para pessoas que se sentem tensas, mas sem ter uma doença aparente. Além disso, ela é utilizada em casos de pessoas que tem dificuldades para dormir, pode ser usado por pacientes ansiosos, que sofrem com a síndrome do pânico e são hiperativos.

Vale ressaltar ainda que pessoas que tem o diagnóstico de epilepsia e estresse podem estar fazendo o tratamento com essa planta.

Benefícios

Quem quer conhecer os benefícios dessa planta, este n tópico certo, pois aqui iremos listar sete benefícios incríveis que essa planta pode oferecer no seu dia a dia. Veja abaixo quais são:

  • Auxilia a dormir melhor: de acordo com o que já foi pesquisado sobre essa planta, a valeriana tem propriedades em sua composição que atuam como um sedativo e calmante, provocando maior relaxamento e ajudando na hora de dormir. Você não irá demorar para dormir e nem se sentirá cansado pela manhã.
  • Ajuda no combate ao estresse e a ansiedade: pessoas que sofrem com o estresse do seu cotidiano ou são extremamente ansiosas, devem tentar utilizar a planta Valeriana Officinalis, isto porque ela relaxa e também ajuda a acalmar o paciente. Através dela, você conseguir nivelar seus níveis de ansiedade e estresse.
  • Emagrece: existem casos em que pessoas relataram estar mais magras depois do uso de Valeriana Officinalis, entretanto, é importante frisar que o seu uso está mais para um calmante natural, do que um produto para emagrecer de fato.
  • Regula a pressão arterial: tem muitas pessoas que convivem com os níveis altos de pressão arterial, mas com o uso de Valeriana, isto pode mudar. Porque ela regula a pressão arterial se ela estiver alta, e diminui as chances de problemas no coração e derrame.
  • Cólicas: mulheres que sofrem com cólica aqui está a solução. É só ingerir produtos à base de Valeriana Officinalis, que a dor incomoda vai embora.
  • Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC): com o uso dessa planta você consegue ficar mais calmo e relaxado, além de desacelerar o pensamento repetitivo.
  • Hiperatividade infantil: crianças hiperativas, ao tomar Valeriana, começam a ter maior concentração em suas atividades e diminuem seu ritmo acelerado.

Contraindicações

Apesar do uso ser liberado para crianças, o ideal é que elas sejam maiores de 3 anos de idade, crianças com idade inferior devem tomar somente se houver indicação médica.

Além disso, você precisa confirmar se não tem alergia ao medicamento e a planta, é claro. Aqueles que costumam dirigir, tem trabalhos onde devem operar máquinas pesadas ou qualquer outra atividade que possa ocasionar um risco a sua saúde, é preciso evitar o uso de Valeriana Officinalis, pois pode provocar sono.

Como Tomar

A planta medicinal pode ser consumida de várias formas:

  • Comprimidos ou cápsulas;
  • Extrato;
  • Chá da erva.

No caso dos comprimidos, cápsulas ou extrato em gotas, leia a bula ou rótulo do produto e siga as orientações de como tomar corretamente.

Caso deseje consumir o chá da erva, basta fazer a infusão das folhas e galhos secos. Uma dica para melhor o sabor do chá é acrescentar hortelã. E se o intuito do chá for para relaxar, aliviar a ansiedade e pegar no sono acrescente camomila e/ou mulungu que são plantas que também possuem estes benefícios.

Quanto tempo demora para fazer efeito

Depende muito da forma que a substância foi consumida: comprimidos, cápsulas, extrato ou chá. Além disso, a concentração dessa substância presente nesse meio de consumo, geralmente, os comprimidos e cápsulas têm uma maior concentração da erva.

Efeitos Colaterais

Confira abaixo quais são os efeitos colaterais mais comuns em quem consome em excesso da planta:

  • Sensação de queimação no estomago;
  • Azia;
  • Interfere na digestão dos alimentos, dificultando o processo;
  • Pode causar alergias na pele da pessoa, tais como: coceira, vermelhidão e até provocar inchaço no local;
  • Taquicardia;
  • Dificuldades em dormir.

Em geral, estes efeitos colaterais são raros, a menos que você consuma em excesso.

O artigo Valeriana Officinalis: Como tomar comprimido, cápsula, extrato ou chá apareceu primeiro em Rural.

Vitamina para Imunidade Baixa – Remédio Natual

É comum encontrarmos pessoas que buscam informações sobre a imunidade baixa e a melhor maneira de fortalecer o sistema imunológico, é visível que o número de pessoas que possuem imunidade baixa vem aumentando consideravelmente e nem sempre encontramos uma solução para esse problema.

melhor vitamina para imunidade baixa

Na realidade essa queda do sistema imunológico ocorre pela falta de vitaminas e minerais em nosso organismo que é ocasionado pelo estilo de vida acelerado que temos e que mesmo na maioria das vezes ter uma alimentação saudável e regulada não conseguimos ingerir as vitaminas e nutrientes necessários para manter nossa saúde.

Mas existem muitas vitaminas que podemos consumir a parte e que são muito benéficas para o fortalecimento do sistema imunológico, essas vitaminas são encontradas em alimentos e produtos naturais como suplementos que vem sendo muito utilizado atualmente para evitar a imunidade baixa e ainda fazer com que o organismo receba os nutrientes necessários para funcionar de maneira que o sistema imunológico seja fortalecido e mantenha a saúde protegida.

Melhores Vitaminas para imunidade baixa

Muitas pessoas possuem o problema de sempre estar com a imunidade baixa e na maioria das vezes essas pessoas não sabem o que fazer para aumentar ou fortalecer as defesas do organismo, afinal mesmo seguindo uma alimentação saudável, a imunidade continua baixa.

Isso ocorre na maioria das vezes pelo fato de faltar vitaminas e até minerais que são essenciais para o funcionamento do nosso organismo e assim fortalecer nosso sistema imunológico. Porém mesmo tendo uma alimentação saudável, nosso estilo de vida nem sempre permite que as vitaminas e minerais ingeridas sejam suficientes. Alguns desses nutrientes essenciais para as defesas do organismo são:

  • Ácido fólico
  • Vit A
  • Vit C
  • Vit D

Podemos consumir diversas vitaminas que podem ser essenciais para evitar a queda da imunidade, essas vitaminas podem ser encontradas em diversos alimento, mas nem sempre as ingerimos na quantidade certa e por isso é preciso buscar formas alternativas para complementar nossa alimentação de maneira saudável.

Sempre devemos buscar ingerir essas vitaminas da maneira mais saudável possível e uma maneira que ajuda a fortalecer o sistema imune sem a necessidade de agredir a saúde é através de suplementos naturais, esses complexos vitamínicos possuem todas as vitaminas e minerais que nosso corpo necessita para funcionar corretamente e assim prevenir a imunidade baixa.

Quando o assunto é suplementação podemos encontrar muitas opções de suplementos no mercado, mas sempre eles funcionam da melhor maneira, e quando o assunto é a ingestão de suplemento para fortalecer o sistema imunitário é preciso escolher um produto que seja adequado para suas necessidades.

O complexo vitamínico e de minerais é muito utilizado pelas pessoas para protegem o organismo contra doenças e também para complementar a alimentação com os nutrientes que são necessários, consulte um profissional de saúde antes de consumir.

Dicas para fortalecer a imunidade

As pessoas buscam muitas informações de qual seria a melhor maneira de fortalecer o sistema imunológico e nem sempre é fácil encontrar essa resposta, ainda mais para aquelas pessoas que possuem uma imunidade baixa e não sabe como reverter esse processo de maneira simples e eficaz.

Existem muitos alimentos que podem ser utilizados em nossa alimentação que possuem nutrientes que contribuem para que nosso sistema imune seja fortalecido de maneira mais natural possível, essa é uma opção muito viável e que muitas pessoas vêm preferindo, por se tratar de alimentos totalmente naturais.

alimentos para imunidade baixa

Também podemos ter acesso a algumas dicas que podemos nos tornar adeptos em nosso dia a dia que podem ajudar no processo para fortalecer nosso sistema imunológico, algumas dicas que podem ajudar são:

  • Alimentar-se bem é um ótimo remédio para o fortalecimento do sistema imunitário;
  • Consumir alimentos ou suplementos que contem Zinco;
  • Tenha um boa noite de sono;
  • Ingerir suplementos naturais que contêm nutrientes que ajudam a proteger o organismo contra doenças;
  • Evite ficar estressado ou ansioso isso ajuda a liberar hormônios que podem ser prejudiciais para o sistema imunológico;
  • Consumir vitaminas como por exemplo a do tipo C são ótimas opções para fortalecer o sistema imune;
  • Consuma ômega 3 é ótimo para aumentar a imunidade e também para prevenir doenças;
  • Hidrate-se, beba bastante água durante o dia;
  • Tenha bons hábitos de higiene;
  • Evite exageros seja alimentar ou até mesmo de exercícios físicos;
  • Evite usar medicamentos de maneira desnecessária;
  • Consuma produtos ou alimentos naturais como o gengibre.

O artigo Vitamina para Imunidade Baixa – Remédio Natual apareceu primeiro em Rural.